Por Que Você Deve Estudar Relações Internacionais nos EUA?

0
368

Estudar Relações Internacionais nos Estados Unidos pode parecer mais fácil do que você pensa e basta fazer a leitura deste artigo para saber como!

Você que se interessa por relações Internacionais sabe bem que a globalização é umas das forças profundas que condicionam o desenrolar da história contemporânea. Também é de seu conhecimento que, para o bem ou para o mal, o mundo está mais interconectado e mais interdependente, de modo que aquilo que acontece numa parte no mundo tem consequências globais. Dessa forma, à medida que crescem as incertezas sobre o futuro, cresce também a necessidade de os tomadores de decisões dos setores público e privado estarem bem-informados, e, para eles, mais importante que ter acesso aos fatos é ser municiado de análises de boa qualidade, que dão sentido a eventos aparentemente desconexos e que lhes permite entender o sentido da história.

 

É justamente nesse ponto que você, um bacharel em relações internacionais ou internacionalista, se encaixa. Cabe a você o desafio de interpretar o mundo contemporâneo e seus principais atores. 

Se agora você já sabe o quanto o mercado privado e os órgãos públicos necessitam de internacionalistas, resta saber onde fazer essa graduação.  Onde você será melhor preparado para interpretar e atuar num mundo crescentemente globalizado? Nos Estados Unidos! (Nossa resposta não poderia ser outra). Mas, por que estudar relações internacionais nos EUA?

A primeira razão é acadêmica. Você sabe que as melhores universidades do mundo estão nos Estados Unidos. Os grandes analistas e atores desse ramo do conhecimento, nomes como Henry Kissinger, Kenneth Waltz, Joseph Nye e Robert Keohane, foram formados nas grandes universidades americanas, como Harvard, Princeton, Stanford, Columbia, Yale, etc. Portanto, lá, não há dúvida de que você adquirirá o repertório teórico necessário para a atuação profissional.

A segunda razão é o ambiente multicultural que o campus de uma universidade americana oferece. Se uma das dificuldades geradas pela globalização é o  chamado choque cultural, um internacionalista deve acostumar-se com o contato o outro. Não há lugar melhor para você trabalhar essa habilidade que em uma universidade americana. Lá, estudam pessoas de muitas nacionalidades diferentes. Quando fiz minha graduação em relações internacionais nos EUA, tive colegas da América Latina, do Oriente Médio, da África, da Europa e da Ásia. Além de conhecer melhor sua realidade cultural e entender seus costumes, pude compreender sua forma de ver o mundo.

 

Tenho que mencionar as oportunidades que as universidades americanas oferecem. Você sabe o custo de estudar numa universidade privada no Brasil e, mesmo que você estude numa universidade pública, existem custos implícitos – moradia, alimentação, transporte, etc. No caso da formação de um internacionalista, existe ainda o custo com cursinhos de línguas estrangeiras. É muito importante que você saiba falar bem inglês e ainda mais uma terceira língua, como espanhol e francês.

Nas faculdades americanas, os alunos de todos os cursos devem fazer, ao menos, dois semestres de uma língua estrangeira.  No caso específico da graduação em relações internacionais, o estudante deve fazer, no mínimo, quatro semestre, podendo fazer mais, se desejar. Como eu julgava importante aprender espanhol e francês, estudei ambas ao longo de toda a graduação e ainda tive a oportunidade de estudar um semestre inteiro na França e outro na Espanha. As universidades americanas normalmente oferecem esse tipo de oportunidade a seus estudantes.

 

Por fim, como vinha falando dos custos de estudar relações internacionais,  lhe digo que ter acesso à infraestrutura de uma universidade americana e às oportunidades que descrevi acima custa em torno de 15,000 dólares por ano, incluindo os custos com moradia e alimentação. Isto é, cerca de 4,200 reais por mês para morar e estudar nos Estados Unidos. Muitas vezes, estudantes de relações internacionais gastam muito mais que isso no Brasil, quando somam o custo de graduação, cursinhos de língua (inglês, espanhol e francês), alimentação, transporte e moradia.

Quero lembrar você também que as universidades nos Estados Unidos tem inúmeras oportunidades de bolsas de estudos, seja para pessoas de bom desempenho acadêmico, seja para bons atletas. Nesses casos, você poderá pagar ainda menos que 4,200 reais por mês, até mesmo não pagar anda, se conquistar uma bolsa integral, como clientes nossos já fizeram.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here